2 de abril de 2014

Parabéns Atlético de Alagoinhas: 44 anos de história

Hoje, 2 de abril de 2014 o Alagoinhas Atlético Clube comemora os seus 44 anos. Muitos acham que não temos o que comemorar, mas vejo com outros olhos. É fácil perceber que depois de uma vitória nos dias de domingo a segunda feira é mais alegre em Alagoinhas.
Muitos foram as vitórias no Carneirão. Um time que se caracterizou como sendo um time difícil de ser batido em seus domínios. É bem verdade que nesses seus 44 anos cometeu seus deslizes, como por exemplo, agora encontra-se na segunda divisão, mas acreditamos e torcemos que essa situação seja passageira. Aqui vou relembrar alguns nomes que ajudaram a construir a nossa história.
É com desejo de ter vivido aquele tempo que vejo meu pai falar dos primeiros nomes. Moraes, Dida, Catu e por ai vai. Já criançinha e morando perto da sede do carcará comecei a ver e me encantar com os bons nomes e essa paixão nunca parou. Lembro aqui de goleiros como Uelton, George, Hélio, Silvá, Gomes , Tigre. Goleiros que muito nos ajudou a sair sem derrotas. Tigre um gigante, matador nos pênaltis e um paredão nas defesas.
Lembro com muito carinho do nosso belo lateral direito Hélio, o único da Bahia que conseguia marcar o famoso Jesum, espetacular ponta esquerda do Bahia. Zagueiros fizemos escola: Rodolfo, Russo, Silva Paraíba, Nelsinho, Guilherme, Jorge Natal e outros craques da Zaga, mas na hora de chegar junto também já tivemos nossos guerreiros, como por exemplo, o viril Guaraci. No meio campo sempre foi um show de talentos. Américo, Mérica e Dendê.
Esse trio combinaria perfeito em qualquer grande clube do Brasil. A leveza de Américo, a garra de Mérica e as longas passadas de Dendê. Quis por ironia do Futebol, escolher apenas um para se firmar como jogador de um grande time nacional: Mérica, com sua brilhante passagem pelo Flamengo.
Tivemos também meias espetaculares como Sidney, de vasta cabeleira loira e um potente chute na perna esquerda, fato que o levou a ser comprado pelo Botafogo do Rio. Outro craque também marcou seu nome por aqui, o elegante Zé Augusto, era um verdadeiro espetáculo em campo.
Ao abandonar o futebol virou José Augusto e foi ensinar o que sabia aos mais jovens, como, por exemplo, nas categorias de base do Corinthians, por onde ficou muito tempo. Hoje presta serviço ao Grêmio Osasco.
Na frente não poderíamos deixar de lembrar do nosso maior artilheiro. O atacante Caroço. Cinquenta e nove gols em sua bela passagem pelo Atlético.

Foi tão boa sua passagem que uma notícia ficou para sempre eternizada no meio jornalístico Baiano, quando o Atlético ganhou na Fonte Nova do fortíssimo time do Bahia com gols de Caroço e Dendê. O jornal A Tarde estampou na 1ª página: BAHIA SE ENGASGA COM CAROÇO DE DENDÊ NA FONTE NOVA.
Tivemos também nosso querido centro avante Rocha, era uma verdadeira pedra nas chuteiras das zagas adversárias. Seu nome faz jus ao seu estilo, uma verdadeira rocha entre os zagueiros, dificílimo de ser derrubado, raça pura e muitos gols. E o ponta direita Joãozinho, é por dentro ou por fora? O lateral nunca sabia qual caminho o ponta iria tomar e nessa indecisão, Joãozinho estava lá , ou na linha de fundo ou dentro do gol.
O Vitória não deixou escapar. Caindo pelas pontas tivemos vários: Elísio, Djair, Jaudemir, Valmar, Fernando, Sabino, até Jesum deu uma palhinha por aqui. E olha o Robert ai chegando para também fazer história, nosso maior e melhor atacante dos últimos tempos, lá se vai mais de 40 gols.

Não poderíamos deixar de lembrar do time de juniores que foi campeão Baiano, o único do interior. O zagueiro Luizão protegendo a defesa, o craque Aécio controlando e distribuindo no meio e Souza Alagoano mandando na frente, esse último o Bahia não deixou por aqui.
E assim o Atlético vai fazendo a sua história.

O Atlético de Jeferson Vila Nova, de Zé Prata, de Tião, de Bacelar, de Albino Leite, de Raimundo Queiroz e Capitão Abade; dos treinadores Pinguela e Alencar, dos torcedores Sidney do “sinuque” e Gilberto Araújo, de Messias Contador e José Olívio Poeta. Atlético de tantos outros que amam esse clube e que aqui não foram citados.Temos que comemorar sim, o Atlético está vivo. 
Começou o novo quadro de sócios em um projeto conduzido com muita responsabilidade pelo Conselho Cultural Carcará(CCC), temos um site em pleno funcionamento, temos uma divisão de base trabalhando e sendo mantida, mesmo sem disputar competições, estamos concluindo um campo de futebol para treinamento em uma parceria com a UNEB. Em fim. O futuro promete! Parabéns Atlético!
Por Antonio Neto.
Diretor -CCC

2 comentários:

  1. Quem é esse time ai e o nome dos jogadores empe e os agachados

    ResponderExcluir
  2. Quem é esse time ai e o nome dos jogadores empe e os agachados

    ResponderExcluir